Vídeos pelo WhatsApp

Quer receber os vídeos pelo WhatsApp?
Veja os detalhes neste link.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Violências afetivas

Programa de 01/Junho/2011. Neste vídeo Padre Fábio de Melo fala sobre as várias formas de violências que presenciamos na sociedade, mas principalmente as violências afetivas, que atingem a alma, e geralmente machucam mais e duram muitos mais tempo do que as violências físicas.


Também disponível em MP3.

4 comentários:

guiomar disse...

em um casamento não pode haver violencia. se um é nervoso o outro tem que ser moderado, porque a partir da primeira briga não para mais. Mais v ou deixar uma coisa bem clara, não falo isso por exteriencia, pois graças a DEUS fui casada 27 anos, fui separada pela morte. Mais foram 27 anos só de felicidade, paz,harmonia e muito amor. Estou viúva a 9 anos, e mesmo se eu quizesse me casar novamente não encontraria nenhum homem nem parecido com o que eu tive. Por isso que eu digo, violencia não combina com casamento.

guiomar1934@hotmail.com disse...

olhe gente qualquer tipo de violência é desagradável, seja a violencia física e moralmente, nenhuma pode e nem deve ser usada, principalmente quando se trata de criança e mulheres. Ninguem merece, mulher nenhuma merece passar por esse constrangimento. Esses dois tipos de violencia não deve esistir, principalmente a moral. Essa é a que mais dói, porque atinge a alma, o coração fica ferido, e quem sofre essa violencia moral não esquece nunca, porque ela é pior do que a física, e dói muito mais.

guiomar1934@hotmail.com disse...

eu sou contra a qualquer tipo de violencia, seja em casa, sejanas escolas,na rua em fim qualquer lugar, eu sou totalmente contra violencia. Se todos procuracem viver em comunhão ao próximo talves não haveria violencia. Gente dentro de casa é um lugar sagrado e é onde mais se ver a violencia, é marido com a mulher, com os filhos e aí se vai, não esiste mais o respeito em alguns lares e nem nas escolas isso sem alar nas ruas.

guiomar disse...

Olh gente quando vejo algo acontecendo e sinto que naquele momento não posso ajudar eu não me sinto bem. Eu falo das violencias que a cada dia vem aumentando na siciedade e principalmente no laço familiar, e infelismente a maioria das vezes envolve as mulheres e as crianças. Mais a pior violencia com as mulheres é a moral, essa deixa elas acabadas, porque atinge a alma o coração e parece nunca curar.