sexta-feira, 25 de julho de 2008

Enfrentando as dificuldades


Também disponível em MP3.


Neste vídeo Pe. Fábio fala de uma menina que lhe contou sobre uma depressão profunda, que a havia feito se trancar em seu quarto constantemente, devido ao fato de ter descoberto que seu pai tinha poucos meses de vida. Pe. Fábio lhe abriu os olhos mostrando o erro que estava cometendo ao trancar-se no quarto, justamente quando seu pai mais precisava dela. Ela tinha deveria passar o pouco tempo de vida de seu pai com ele, e não trancada num quarto. O câncer do pai não havia como ser curado, mas o câncer espiritual que estava se formando naquela menina podia ser curado, e foi o que Pe. Fábio fez, com aquele questionamento aquela menina mudou completamente sua forma de agir, e a despertou para celebrar a vida de seu pai.

Muitas vezes nos falta tomar um choque semelhante a este que Pe. Fábio deu naquela menina, precisamos acordar para a vida e parar de ficar focando nossos problemas e dificuldades, é preciso enfrentar estas dificuldades, é preciso esforço. Trancar-se no próprio quarto diante dos problemas é muito fácil, o difícil, e o que torna a vida digna é se esforçar e enfrentar as tribulações.

Diante da perda de pessoas próximas podemos construir duas realidades: saudade ou remorso. A saudade é o que fica de bom da pessoa que partiu, as boas horas que passamos ao lado dela, as conversas, os abraços, até mesmo as brigas. Mas o remorso é o sentimento que fica quando ficamos lamentando por não ter passado mais tempo ao lado daquela pessoa. A menina que estava prestes a perder o pai estava construindo remorsos que iriam ficar para a vida inteira, mas decidiu mudar a situação, e passou a construir boas lembranças. Se hoje temos algum remorso conosco é preciso deixar de lado, e ficar apenas com a boa saudade, e passar a conviver mais com aqueles que amamos, construindo boas lembranças.
Postar um comentário